Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub
[ocr errors][merged small][merged small]

Foi certamente das mais valiosas a contribuição que prestou á Bibliotheca Nacional o illustre homem de lettras e distincto diplomata Sr. Dr. Salvador de Mendonça, offertando-lhe de 1884 a 1890 a rica e numerosa collecção a que foi dado o seu nome como uma devida homenagem.

Obras raras, edições estimadas, exemplares preciosos encontram-se em grande numero na « Collecção Salvador de Mendonça). A historia da Hollanda, da Companhia das Indias Occidentaes e do dominio hollandez no Brasil, a historia da America e o estudo das linguas americanas, ao mesmo tempo que a bibliographia concernente a estes assumptos, mereceram a preferencia do erudito colleccionador na escolha das obras que destinou á primeira bibliotheca do seu paiz.

O catalogo que ora se publica é a «relação explicada», que o doador organisara e remettera juntamente com a collecção, tendo-se-lhe apenas accrescentado um indice alphabetico para facilitar a procura. As interessantes annotações bibliographicas que o enriquecem patenteiam o valor das obras que constituem a collecção e denunciam o apurado gosto do amador e o criterio do bibliographo.

Como um modesto preito de reconhecimento, o retrato do benemerito doador acompanha a publicação do catalogo da inestimavel collecção e a seu respeito são aqui insertos alguns apontamentos bio-bibliographicos oriundos de boa fonte.

Salvador de Menezes Drummond Furtado de Mendonça nasceu villa de Itaborahy, provincia do Rio de Janeiro, a 21 de Julho de 1841. Foram seus paes Salvador Furtado de Mendonça e D. Amalia de Menezes Drummond, naturaes do mesmo municipio.

Terminados seus estudos de humanidades na capital do Imperio, matriculou-se na Faculdade de Direito de S. Paulo, estudando o primeiro e o segundo anno do curso juridico em 1859 e 1860 e os tres ultimos annos de 1867 a 1869, anno em que se formou. De 1861 a 1866 votou-se ao magisterio , e em 1865 substituiu na cadeira de Chorographia e Historia do Brasil no Collegio de Pedro II ao seu conterraneo Dr. Joaquim Manoel de Macedo, professor dessa cadeira.

Em 1860 redigiu em S. Paulo com Theophilo Ottoni Filho, o periodico A Legenda, folha radical. De 1867 a 1869 redigiu com Ferreira de Menezes na mesma cidade O Ypiranga, folha diaria, orgam do partido liberal da adiantada provincia.

De volta ao Rio de Janeiro, tendo recusado uma cadeira de representante de S. Paulo no Parlamento, para iniciar a publicação da Republica, orgam do novo partido que então se organisou e de cujo directorio fez parte com Saldanha Marinho, Quintino Bocayuva, Lafayette Rodrigues Pereira e Aristides Lobo, dedicou-se exclusivamente á propaganda das ideas republicanas. Com Luiz Barbosa da Silva foi proprietario da Republica nos primeiros annos de sua publicação diaria e teve como co-redactor a Quintino Bocayuva.

Retirado da imprensa diaria por motivo de saúde, traduziu de 1873 a 1875 varias obras litterarias, editadas pela casa Garnier, entre as quaes o -93-de Victor Hugo e os melhores trabalhos de Theophilo Gautier e Alfredo de Musset.

Em 1875 entrou para a redacção do Globo, ainda em companhia de Q. Bocayuva, mas ahi pouco se demorou, porque teve de procurar fora do paiz o tratamento que o seu estado de saude reclamava.

Em Junho desse anno foi nomeado Consul Privativo em Baltimore nos Estados Unidos, e logo no mez de Maio de 1876 foi promovido a Consul Geral em Nova York.

Em Junho de 1889 foi nomeado Enviado Extraordinario e Ministro Plenipotenciario e Delegado á 1.a Conferencia Internacional Americana em

Washington, fazendo parte da Missão Especial de que foi chefe o Conselheiro Lafayette Rodrigues Pereira, a quem succedeu na chefia da Missão, quando ao proclamar-se a Republica o Conselheiro Lafayette recusou a renovação de poderes. Depois de lhe caber uma tarefa onerosa nos trabalhos da maioria das cominissões da Conferencia, inclusivamente a Commissão Executiva de que fez parte com o Secretario Blaine, apresentou com a Delegação Argentina o projecto de arbitramento obrigatorio, que redigiu com o Dr. Manuel Quintana, e foi afinal approvado pela Conferencia sem modificações e se transformou na lettra do Tratado de 28 de Abril de 1890, que lhe coube assignar por parte do Brasil com os Estados Unidos e mais oito nações deste continente. Posto que não chegasse a ser ratificado esse tratado, a Constituição de 24 de Fevereiro o homologou.

A 20 de Dezembro de 1890 foi nomeado para a missão ordinaria em Washington, onde serviu até Maio de 1898, epoca em que foi removido para a Legação em Lisboa. A 16 de Janeiro de 1891 assignou o Convenio Aduaneiro entre o Brasil e os Estados Unidos, graças ao qual se abriu o mercado norte americano para o assucar do Brasil, que alli entrou livre de direitos durante quatrg annos, elevando-se assim a nossa exportação desse artigo para aquelles Estados de oitenta mil toneladas, que era em 1891, a duzentas e quarenta mil toneladas, que foi em 1894, anno em que o accordo foi denunciado.

Durante a sua gestão da Legação de Washington, deu-se o arbitramento da questão de Missões com a Republica Argentina e occorreram a revolta da armada e o movimento federalista no Sul do Brasil. Obteve então para o Governo da Republica o apoio moral do Governo de Washington.

A 15 de Setembro de 1898 foi exonerado da Legação em Lisboa e a 10 de Setembro de 1903 foi posto em disponibilidade activa.

Faz parte da Academia Brasileira de Lettras desde que esta se organisou.

Os seus livros até hoje publicados são os seguintes:
Cingayrú. S. Paulo. 1860. Poemeto.

Joanna de Flandres ou a volta do cruzado. Drama lyrico em quatro actos. Musica de A. Carlos Gomes. Rio de Janeiro. 1863.

Dilettantismo (Isabel Alba. Mariano Padilla. Ladislau Miller). Rio de Janeiro. 1864. 3 opusculos.

Apontamentos biographicos para a historia das campanhas do Uruguay e Paraguay desde MDCCCLXIV. Rio de Janeiro. 1866. Em collaboração.

Marába. Romance brasileiro Bibliotheca do Globo). Rio de Janeiro. 1875.

Trabalhadores asiaticos. New York. 1879.
Transformação do trabalho no Brazil. Rio de Janeiro. 1881.

Immigração chineza. Serie de artigos publicados no «Cruzeiro» em resposta ao «Rio News». Rio de Janeiro. 1881.

Ajuste de contas. Rio de Janeiro. 1899-1904.

Salvador de Mendonça tem actualmente promptos para o prelo alguns volumes de litteratura e de politica e um trabalho sobre archeologia americana. A Historia da Regencia, ensaio do regimen democratico no Brasil, escripta em 1868, aguarda apenas nova leitura. Tem entre mãos uma obra a que dedica o maior cuidado - 0 Arbitramento, alem de alguns volumes de Memorias da gente que tem conhecido desde 1855.

Dos documentos que se seguem referentes a Mem de Sá, terceiro governador geral do Brasil, o que maior copia de informações encerra é o «Instrumento dos Serviços», que por sua maxima importancia figura em primeiro logar.

A enumeração dos repetidos e assignalados serviços prestados por esse valoroso capitão e diligente administrador é documentada com o testemunho de pessoas fidedignas pela saliente posição que occupavam. Si em 1560 já os seus serviços lhe davão direito a pretender, como premio, voltar ao Reino, muito maior era o seu activo dez annos depois, quando promoveu a justificação ou «Instrumento» que agora se publica.

Como esse documento, concorrem para esclarecer a historia do periodo do governo de Mem de Sá (1558-1572) outros igualmente ineditos, quer procedentes do Archivo da Torre do Tombo, quer

existentes nesta Bibliotheca. Os preciosos Livros 1.° do «Registo de Provimentos Seculares e Ecclesiasticos da Cidade da Bahia e Terras do Brazil» e 5.o do «Tombo dos Bens dos Jesuitas» forneceram o seu contingente.

1

Entre os manuscriptos de valor adquiridos pela Bibliotheca Nacional no leilão da bibliotheca da Casa dos Marquezes de Castello Melhor, effectuado em Lisboa em principio de 1879, está o «Discurso Preliminar, Historico, Introductivo, com natureza de Descripção Economica da Comarca e Cidade da Bahia», trabalho anonymo, que nestes Annaes é dado á publicidade.

Destinado a servir de introducção a uma obra de maior folego que não chegou talvez a ser composta, foi escripto fora do

Brasil, certamente em Portugal, posteriormente a 1789, ultimo anno comprehendido nos dados estatisticos que nelle são offerecidos sobre a exportação do assucar.

As causas da decadencia da agricultura, o restabelecimento desta, as suas relações com o commercio e a navegação, as questões economicas que se agitavam por aquelle tempo são o objecto de interessantes dissertações em que o auctor se mostra minuciosamente informado do que a respeito occorria no Brasil e especialmente na Bahia. E

que se não possa publicar completo um trabalho que pela parte preliminar é digno de figurar ao lado do «Ensaio Economico) de Azeredo Coutinho e das «Cartas Economico-politicas) de João Rodrigues de Brito e outros, contemporaneos que foram do ignorado auctor.

para sentir

A «Folha Geral» que acompanhou o Alvará de 10 de Junho de 1617, expedido com o intuito de por ordem nos pagamentos de ordenados, ordinarias, soldos e tenças a effectuar nas differentes Capitanias do Estado do Brasil, foi trasladada em 1626 para o «Livro 2.o do Registo de Provisoens Seculares», d'onde agora é extrahida.

Ella nos diz quaes os diversos cargos então existentes em cada uma das Capitanias, quer ecclesiasticos, quer civis e militares, o numero de fortificações e a sua relativa importancia, a divisão em freguerias, as pessoas que recebiam tenças e as igrejas que eram subsidiadas.

Não é pois sem interesse a sua publicação.

O relatorio do movimento da Bibliotheca em 1904 completa o presente volume.

M. C.

« VorigeDoorgaan »