Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

264) Elogio a la reyna | nuestra señora en el nascimiento de su nieto el principe | nuestro señor. | Hizole | Juan Peres de Macedo de Sousa Tavares | A. Arc. R. | (Vinh.) | Na Officina de Pedro Ferreira, ......... | Anno de 1761...... || In-4.o, de 1 fl.-14 pp.

265) La vera felicitá. | Componimento Drammatico, | Da cantarsi Nella Real Villa di Queluz: Per il felice Natale del serenissimo real principe della Beira | Nella Stamparia di Francesco Luigi Ameno | M.DCC.LXI. || In-4.0, de 24 fls inn., com roste grav. e vinh. a buril.

E' obra de Mariano Borgonzoni Martelli, que assigna a dedicatoria. Segundo se-declara no proprio opusculo, a musica que para elle se-compôz foi de David Perez, o célebre mestre da Capella Real de Lisboa, e famoso compositor da Opera, de quem se-acha memoria na excellente obra - Os musicos portuguezes do sir. Joaquim de Vasconcellos, tom. I. pg. 185, nota s.

A folha de rosto gravada em aço representa um cartouche, dentro do qual se-acha o titulo acima transcripto; sôbre elle 3 anjos alados mostram coroas de louro, e aos lados se-vêem livros, tropheus militares &. No canto inferior e direito um monogramma, que parece ser composto das lettras C. B., e que se não encontra citado em Brulliot nem em Nagler.

e mesmo

A que artista pertencem taes iniciaes? Attento o estylo todo italiano da gravura, e visto saber-se que um Berardi abriu chapas por esse tempo para os célebres librettos da Opera de Lisboa, veio-nos á mente a possibilidade de se-lhe-attribuir mais ésta composição; entretanto formamos já a convicção de que effectivamente não pertence a esse artista a obra de que aqui se-tracta. Chamava-se João Berardi, como diz o conde de Rac zynski e é verdade, o gravador dos librettos, e o monogramma alludido só com difficuldade se-prestaria a ser interpretado pelas iniciaes I. B.; mas não é ainda ésta a mais forte razão: o que de todo nos-apagou da idea similhante supposição foi a immensa disparidade de merito e de estylo, que ultimamente reconhecemos ao comparar o resto gravado da obra de Martelli com as estampas grosseiras e menos que mediocres do libretto Alessandro in Indie, que trazem a assignatura in extenso do já citado Joannes Berardi.

266) Ulysses em Lisboa. | Opera portugueza | Destinada a celebrar o feliz Parto de Sua | Alteza Real | a...... senhora princeza do Brasil. | Offerecida | á mesma senhora. | (Vinh. | Lisboa, Na Offic. Patr. de Francisco Luiz Ameno. | M.DCC.LXI./ || In-8.° peq, de 82 pp.-1 fl.

....

Publicado sem nome de auctor, mas é de Francisco José Freire, segundo crê Innocencio.

267) Dialogo | fra la leatá (sic) ed amore | Per il felecissimo Natale dell'Augusto | prencipe n. s. | Didicato | alla... | Maestá di...... Giuseppe. I. | Di Giovanni Perez di Macedo di Sousa Tavarez | Fragli Arcadi Romani col nome di Libenio | Orentejo. (Vinh.) | Lisboa, | Na Officina de Pedro Ferreira,......... Anno de 1761. | || In-4.o, de 15 pp.

......

......

268) La gara de numi | Introduzione al ballo mascheratto da representarsi nel nuovo Teatro del Bairro Alto di Lisbona / in occasione della felice nascita del real principe della Beira.

S. l. e s. d., in-fol., de 1 fl.

269) Relação dos | obsequiosos festejos, | que se fizerão na Cidade de S. Sebastião do Rio de Janeiro, pela plausivel noticia do Nascimento | do serenissimo senhor principe da Beira/ o senhor d. Joseph no anno de 1762, | Offerecida ao nobilissimo Senado da mesma Cidade, que tão generosamente concorreo para estes grandes feste- jos, em que se empenhou a sua fidelidade, e desempenhou o seu affecto, por hum seu Cidadão, e Anonymo. | (Vinh.)| Lisboa, | na Officina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno. | MDCCLXIII. Com as licenças necessarias. || In 4.,° de 22 pp.

[ocr errors]

Veja-se a nota que accompanha a descripção do opusculo n.° 270.
270) Epanafora | festiva, | ou | relação summaria | das festas, | com
que na cidade do Rio de Janeiro | capital do Brasil | se celo-
brou o feliz nascimento | do ...... | principe | da Beira | ....../
|
Lisboa, na Offic. de Miguel Rodrigues, │........ | M.DCC.LXIII. |
...... || In-4., de 30 pp.

|

O illustrado sir. F. A. de Varnhagen, hoje visconde de Porto-Seguro, em sua Hist. geral do Brazil (tom. 2.o pg. 208), alludindo a ésta curiosa relação dá uma succinta noticia das festas, que então se-celebraram nesta cidade do Rio de Janeiro, e que fazem o objecto da mesma Epanafora; todavia não acreditamos inutil dar aqui um resumo mais completo d'este interessante opusculo, combinando uma ou outra vez o que nelle se-diz com as noticias da Relação precedente (n.o 269), que tracta do mesmo assumpto, ainda que ella não nos-pareça tão digna de fé, e tão exacta. Eis em que consistiram as festas:

Dias 7, 8 e 9 de Maio. Um Triduo solemne com missa de pontifical na Egreja de S. Bento, officiando no primeiro dia o abbade fr. Miguel (1)

(1) A Relação dos obsequiosos festejos chama-o com manifesto êrro fr. Manoel da Conceição. (Vide: a relação dos abbades d'este mosteiro por mim publicada nos Aponctamentos historicos sobre a Ordem Benedictina & Rev. do Inst. Hist. e Geogr. Bras. tom. XXXV. (1872) parte 2. pag. 318.

da Conceição e prégando nessa mesma tarde o sabio fr. Gaspar da Madre de Deus (1); officiando no 2.o dia o abbade in partibus fr. Antonio de S." Catharina (2) com Te-Deum á tarde, e no 3.o dia o proprio bispo da dio cesc d. fr. Antonio do Desterro. Fez se na tarde d'este 3. dia uma solemne procissão, e á noite, como nas prece lentes, illuminação (3) geral da cidade.

16 de Maio. Primeiro dia de touros na praça que para esse fim sedispoz no então Campo de S. Domingos (hoje campo da Acclamação). Começou-se por alimpar o curro, entraram logo as dansas das «Siganas », dos «Cajadinhos », dos « Alfayates », dos « Ourives » e mais officios, e segui

ram-se os touros.

Dia 17. Cavalhadas, que como era de estylo, tambem começaram pela entrada das danças.; acabadas éstas, entraram os cavalleiros ricamente vestidos, que depois de uma escaramuça « principiarão a correr alcancias, cannas e cabeças; acabarão com parelhas, e outra escaramuça diversa. » Dia 19. Saïo pela cidade o estado dos pardos, seguido de dansas. várias na seguinte ordem: a de um «sóba magico» composta de varios animaes; a de doze leões com Hercules por guia; a dos « Calhastros », a dos « Ambacas », e dos « moleques », cada uma com 12 figuras; a de «talheiras », a de «negrinhas pequenas », a de « moleques pequeninos de Angola », a de «catupé », e por fim o «baile do Congo ».

Dia 21.

Segundo dia de touros.

Dia 23. Segundo dia de cavalhadas.

Dias 2, 5 e 8 de Junho. - Em cada uma das 3 noites se-representou uma «opera » no theatro disposto expressamente para esse fim, e custou ésta parte dos festejos aos commerciantes que a promoveram para cima de 8.000 cruza los.

Dia 6.

Banquete dado pelo conde de Bobadella a mais de 80 pessoas de distincção da cidade.

Dia 28. Fogos de artificio no campo de S. Domingos.

Tal foi a maneira porque os nossos maiores demonstraram o regosijo que lhes-causára o nascimento do principe da Beira.

(1) A mesma Relação tambem aqui é infiel chamando de fr. Gaspar da Encarnação a este monge, aliás tão conhecido por ecclesiasticos e seculares.

(2) Tanto a Relação como a Epanafora omittem o nome de familia deste religioso que se-chamava fr. Antonio de Sancta Catharina Costa. (Vide: a memoria citada, pg. 337, onde publiquei a noticia d'este Triduo extrahida do Dietario mss. da Ordem.)

(3) Nesta parte a Relação é muito mais curiosa do que a Epanafora, descrevendo com interessante minuciosidade as «primorosas luminarias » dos palacios do conde de Bobadella, do bispo e do Senado da Camara e das casas do dr. Alexandre Nunes Leal (corregedor da comarca), dos desembargadores Joño Alberto de Castello-Branco (chanceller da Relação), Agostinho Felix dos Santos Capello e Manuel da Fonseca Brandão, do tenente-coronel Joaquim José Ribeiro da Costa, dr. José Mauricio da Gama e Freitas (juiz de fóra) &., assim como as dos conventos, egrejas e fortalezas da cidade.

271) Alegres vozes com que o clarim da fama decanta, e
| |
aplaude o felecissimo | Dascimento do Preclaro | infante de
Portugal o senhor d. João ......... | Por | Antonio Joze
| |
Pereira Cortés. Lisboa: na Officina de Joze Filippe. | Anno
de M.DCC.LXIII. |
|| In-4.o, de 8 pp.

.........

Consta de um romance, e um soneto.

Auctor omittido por Innocencio.

[ocr errors]

.........

272) Applauzo | metrico | ao feliz nascimento do perclarissimo
infante de Portugal | o senhor | d. João
..... | Offe
recido ao serenissimo senhor infante | d. Pedro | por | Ma-
noel Jozé Miranda. | Lisboa: MDCCLXIII. | Na Offic. de João
Antonio da Cost t, ...... | In-4.o, de 7 pp.
||

Consta de um romance e um sonoto.

Auctor não contemplado no Dicc. bibl.

273) Glorias | de | Elyzia | no glorioso dia do felicissimo nascimento do serenissimo senhor

infante. (Vinh.) | Lisboa:

MDCCLXIII. | Na Officina de Ignacio Nogueira Xisto....... //
In-4.o, de 8 pp., sendo a última inn.

E' uma Sylva assignada por José Pedro do Valle, nome que aliás não occorre no Dicc. bibl. Será este outro pseudonymo, com que se-tenha querido occultar o latinista Antonio Felix Mendes, que alguma cousa publicou sob o nome de João Pedro do Valle?

274) Respirão novos jubilos os corações Portuguezes, applau- dindo o Augustissimo Nascimento do segundo Filho do | Serenissimo Senhor Infante D. Pedro,

(Infra:) Joaquim Simpliciano do Canto. |

S. l. e s. d., in-fol., de 1 fl.

275) Celsissimo Portugalliæ

Soneto. I

infanti | recens, ac Verno tempore

vitæ lumen ineunti Ano- | nymus dicat. |

(Infra:) Faciebat J. M. R. L. ||

S. l. e s. d., in-fol., de 1 fl.

276) Fidelissimo | Lusitaniae regi de nepote infantis Petri filio / feliciter nato justa gratulatio. |

(Infra:) A. F. M. ||

S. l. e s. d., in-fol., de 1 fl.

As iniciaes são provavelmente de Antonio Felix Mendes.

277) Celsissimi Portugalliæ infantis | natalitius dies concelebra

tur, dum Virgilianum illud Uno avulso, non deficit al- | ter

paraphrasi exponitur. |

(Infra:) Faciebat J. M. R. L.

S. l. e s. d., in-fol., de 1 f.

278) Applausos | lusitanos

pelo feliz | nascimento

do serenissi

....

mo senhor | infante de Portugal | d. João [ ...... | (Arm. port.) Lisboa: MDCCLXVII. Na Offic. da Viuva de Ignacio Nogueira isto. | ...... || In-4., de 8 pp., sendo a ultima inn.

Consta de um romance e um soneto.

279) A elrey | nosso senhor pelo feliz nascimento de seu neto terceiro. Soneto. |

(Infra:) Do Marquez de Valença. ||

S. l. e s. d. (Lisboa, 1716), in-fol., de 1 fl.

280) Parabens | encomiasticos,

......

plausiveis, | e | metricos, | no | infante de Portugal, /

...... Nascimento do ....!

o serenissimo senhor d. João | ......... | Dedicados | ao senhor | Jacó Pedro Astraut. | por seu author | Antonio Correa Vianna. Lisboa: | na Officina de Caetano Ferreira da Costa. [ Anno de M.DCC.LXVII. | || In-4.. de 8 pp.

Consta de uma sylva e uma glosa.

......

281) Recens nati | principis augustissimi, cui nomen | Joannes,/ natali dicata felicissimo, | ecloga. I

(In-fine:) Cecinit Vincentius da Cunha Lima. | Lisbonæ: | ex typis Josephi Aquinatis Bulhoens. | Anno Domini MDCCLXVII. | || In-4.o, de 2 ff. inn.

282) No feliz nascimento | do serenissimo infante, | Terceiro Neto de Sua Magestade ... | ..... | Soneto. [

......

(Infra:) De Manoel Pereira da Costa. ||

S. l. e s. d. (Lisboa, 1767), in-fol., de 1 fl.

Producção omittida por Innocencio na relação das obras do auctor.

.........

283) Applauso | metrico, | ao feliz nascimento do | preclarissimo infante de Portugal, | o senhor | d. João | | composto por | M. J. M. | (Vinh.) | Lisboa: | na Officina de Caetano Ferreira da Costa. Anno de M.DCC.LXVII. | .... || In-4.o,

de 8 pp.

« VorigeDoorgaan »