Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

Poetas Latinos de Nações Estrangeiras (pag. 97–98)

Poetas Portuguezes (pag. 98–101)
Poetas Hespanhoes (pag. 101–102)

Poetas Francezes (pag. 103-104)
Poetas Inglezes (pag. 104-106)
Poetas Italianos (pag. 106-109)
Poetas Alemães (pag. 109)

Theatro (pag. 110)
Theatro Grego (pag. 110–112)

Theatro Latino (pag. 112-113)
Theatro Portuguez (pag. 113–114)

Theatro Hespanhol (pag. 114)
Theatro Francez (pag. 115–116)

Theatro Inglez (pag. 116–117)
Theatro Italiano (pag. 117–119)

Theatro Alemão (pag. 119)

Mythologia (pag. 119–120)
Fabulas, Apologos, etc. (pag. 120)
Facecias, Peças Burlescas, etc. (pag. 121)

Contos e Novelas (pag. 121)
Romances (pag. 121–123)

Filologia (pag. 123)
Tratados de Estudos e da Literatura, (pag. 123–124)

Critica (pag. 124) Satyras, Invectivas, Defensas, Apologias, etc. (pag. 125)

Adagios, Proverbios, etc. (pag. 125)
Discursos Filologicos, Critigos, Allegoricos, etc. (pag. 126)

Polygrafia (pag. 126-128)
Dialogos e Entretenimentos (pag. 128–129)
Collecções de Cartas (pag. 129)

Historia (pag. 130)
Geografia em Geral (pag. 130–133)
Viagens em Geral (pag. 133–143)

Chronologia (pag. 143)
Historia Universal (pag. 143-147)
Historia Ecclesiastica (pag. 147–149)

IIistoria Profana das Monarchias antigas (pag. 149)

Historia dos Judeos. (pag. 149–150) Historia Geral das 4 Monarquias Antigas, dos Caldeos, Babylonios

etc. (pag. 150–151)
Historia Grega (pag. 151-152)

Historia Romana (pag. 152–155)
Historia de Portugal (pag. 155–158)
Historia de Hespanha (pag. 158–162)

Historia de França (pag. 162–168)
Historia de Inglaterra (pag. 169–175)
Historia de Alemanha (pag. 175–176)

Historia da Prussia (pag. 176)
Historia de Italia (pag. 176-177)
Historia de Hollanda (pag. 177-179)

Historia da Srissa (pag. 179)
Historia da Suecia (pag. 180)

Historia de Polonia (pag. 180)
Historia da Russia (pag. 180-181)

Historia Oriental (pag. 181)
Historia dos Turcos (pag. 181)
Historia da Azia (pag. 182–183)
Historia de Africa (pag. 183–184)

Historia da America (pag. 185)
Historia dos Estados Unidos da America, (pag. 185–186)

Historia Genealogica (pag. 186)
Historia Politicil ou Diplomatica (pag. 186–188)

Antiguidades (pag. 189)
Museus, Pedras Gravadas, Inscripcôens, Numismatica (pag. 189–194)

Historia Literaria (pay. 194–204)
Vida dos Homens Illustres (pag. 204–205)

Appendix 1.° (pag. 206–214) Alem d'isto o catalogo está cheio de muitas apostillas a lapis vermelho e preto, e a tincta; das mais importantes d'ellas nos-occuparemos mais detidamente no correr d'este escripto.

Quanto á tragedia Osmía, coroada pela Academia Real das Sciencias de Lizboil, por alguns (Trigoso, Mr. Ferdinand Denis,

como

pag. 89

José Maria da Costa e Silva e Innocencio F. da Silva á

pag.

89 do tomo 1.o do seu Diccionario bibliographico portuguez) attribuida á

penna do conde da Barca, não resta hoje duvida de que ella é obra de d. Theresa de Mello Breyner, condessa do Vimieiro,

á pag. 329 do 6.o tomo do citado Diccionario, no artigo Osmía, o proprio Innocencio o-confessa pelas seguintes palavras:

« Essa explanação » (dos motivos, em que, no tomo 1.o fundamentava a opinião de ser a tragedia Osmía escripta pelo conde da Barca) « torna-se

« torna-se porém hoje inutil, convencido como « vim a ser de que errava na minha persuasão, pois que os funda« mentos d'ella estavam mui longe da solidez que eu lhes suppu« nha, na falta de outros melhores. Por mais indestructiveis que « parecessem, ficam de todo anniquilados em presença do formal e « auctorisado testemunho de um cavalheiro por tantos titulos res« peitavel, como o é de certo o sr. Antonio de Mello Breyner, « n'este ponto maior de toda a excepção. Elle me affirmou con« servar em seu poder com outras composições de sua tia, a con« Jessa do Vimieiro, o proprio autographo da Osmia, escripto por « lettra d'aquella senhora, offerecendo-se para mostrar-m'o a fim de « convencer-me da verdade. Não pude vel-o, por embaraços sem« pre crescentes do tempo; mas o dito é mais que sufficiente para « desfazer até sombras de duvida. Fique pois assentado de uma « vez que D. Theresa de Mello Breyner foi auctora da Osmia; e « reconhecida como unica genuina a opinião dos que assim o jul(( garam.»

(Continuar-se-ha.)

DE. J. Z. M. Bium.

A COLLECÇÃO CAMONEANA

DA

BIBLIOTHECA NACIONAL

CATALOG O.

[ Continuação (*) ].

12Os Lvsiadas de Lvis de Camões. Có todas as licenças necessarias.

Em Lisboa. Por Paulo Craesbeeck. Impressor & Liureiro das tres Ordens Militares, & á sua custa. Anno 1644. In-24.

Na folha seguinte vem a dedicatoria de Paulo Craesbeeok a d. João Rodrigues de Sá de Menezes, conde de Penaguião. Seguem a ésta dedicatoria : Os Lusíadas com os argumentos até a folha 160 recto ;-0 Index dos nomes proprios até a folha 204 recto. No verso d'esta ultima traz as licenças, a primeira de 9 de Maio, a segunda de 13 do mesmo mez, e a taxa tambem de Maio de 1644.

A proposito das licenças, diz o sûr, visconde de Juromenha: « As licenças vèem na ultima pagina, datadas de 10 e 13 de Maio de 1644, para se imprimirem os Lusiadas e notações.

« Não sei que annotações sejam estas, a não ser o index dos nomes proprios. »

Em primeiro logar, o nosso exemplar não traz nem uma licença com a data de 10 de Maio. Em segundo logar, nem d'ellas fala em notações.

ma só

[*] Continuação da pag. 221 do 1.o volume.

Esta edição é descuidada e até incompleta. Falta-lhe a esta ncia 125 do canto III:

Para o céo cristalino alevantando, &.
Passa da estancia 124:

Trazião-na os horrificos algozes, &.
para a estancia 126 :

Se já nas brutas féras, cuja mente, & Alem d'este descuido typographico, tambem os ha de paginação ou numeração de folhas. Duas têm o numero 20, duas o numero 22, duas o numero 174, &.

sem

13) Os Lvsiadas de Lvis de Camões. Cô todas as licenças necessarias.

Em Lisboa. Por Paulo Craesbeeck, Impressor das Ordens Militares, & a sua custa. Anno M.DC.LI. Com Priuilegio Real. In-24.

Na folha que se segue á folha de rosto a dedicatoria de Paulo Craesbeeck a d. João Rodrigues de Sá de Menezes, conde de Penaguião. Na seguinte, as licenças para a impressão, a primeira de 31 de Janeiro, e não 1o de Janeiro, como vemos talvez por engano na obra do sür. viscon le, a segunda de 6 de Julho, e a terceira de 10 de Julho de 1651. Logo depois quatro sonetos em louvor de Camões : o primeiro de Diogo Bernardes ; o segundo de Diogo Taborda Leitão; o terceiro de um amigo do poeta ; o quarto á sepultura de poeta, soneto tirado de versos de suas rhythmas por João Gomes do Pogo. Vem depois : 03 Lusiadas o index dos nomes proprios de João Franco Barreto.

Este exemplar tem 4 fls. innumeralas-162 fls. numeradas erradamente.

Não será inteiramente ocioso mencionar os erros da paginação d'este livrinho para se demonstrar o pouco zelo que presidiu á sua impressão e facilitar o confronto com outros exemplares.

A numeração vae certa de fls. 1—24.
As fls. 25 a 72 trazem a numeração errada de 23—70;
Torna a corrigir-se de fls. 73 a 96;
As fls. 97–108 vem numeradas 100—111;
As fls. 109–120

117–128;
A A. 121 não traz numeração;
A f. 122 traz a numeração de 120;
A f. 123

111;
As fls. 124--112 vem numeradas 122–140 :
A A. 143 traz a numeração 411;

[ocr errors]
[ocr errors]
[ocr errors]
« VorigeDoorgaan »