Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub
[ocr errors]

1

[merged small][ocr errors]

A obra maravilhosa da creação do globo que pisâmos foi por muito tempo desconhecida á maior parte dos seus habitadores, isolados, dispersos e separados por diversas regiões, até que uma nação, tão pequena em territorio como grande pela gentileza das suas façanhas, pelo ultimo quartel do seculo xv, deu ao mundo o espectaculo mais grandioso, abrindo por entre mares procellosos não conhecidos, povoados não só de perigos reaes, mas ainda de phantasmas fabulosos que a imaginação do homem tinha creado, uma nova estrada para o Oriente, para o abrilhantar com os mais heroicos feitos, levando a luz do Evangelho até os confins da terra, arvorando a Cruz sobre as ruinas da mais barbara e estupida idolatria, estendendo a escala de um vastissimo e dilatadissimo commercio, e ligando os povos por novos e mutuos laços de concordia e civilisação. Se o primeiro homem pasmou absorto ao contemplar as obras da creação dos sete dias, não foi menor o assombro de uma grande parte de seus descendentes, quando rasgando-se o véu que cobria tantas ignorancias viram de subito alargar-se o mundo, e apparecerem novos astros, novos climas, novas raças, nova vegetação, novos USOS, novos costumes; mas tambem, triste fatalidade das cousas humanas, novas precisões, novas enfermidades e novos elementos para a morte!

Do alto do Vaticano abençoou logo o Pae commum dos fieis os nobres esforços e ousadia dos soldados de Christo e da civilisação, e as bocas mais eloquentes dos estrangeiros" se abriram voluntarias para victoriarem a acção estupenda da nação grandiosa, instrumento do mais glorioso acontecimento que jamais se inscreveu nos annaes dos povos.

O celebre Frascator? dá como uma prova da clemencia divina não ter de todo abandonado a Europa no meio de todos os revezes de que o Poeta foi espectador no seu tempo (tempestades, guerras, pestilencias, cidades incendiadas e arrazadas, inundações e todos os mais generos de castigos e flagellos) o complemento d’esta importantissima descoberta; e escriptor estrangeiro houve tão enthusiasta: que julgou que só nos astros podia ser escripta, pondo os nomes de D. Manuel, Vasco da Gama e mais portuguezes, aos promontorios e estreitos que pretendeu descobrir no planeta de Venus.

Podendo acontecer que este meu trabalho, pela importancia do assumpto, transponha os limites da patria, permitta-se-me que reuna o que em o mais elevado estylo melhores pennas disseram em louvor da nação que executou tão portentosas conquistas. Seja o primeiro o nosso celebre Pedro Nunes que a ellas assistiu, e creou discipulos que munidos da sciencia e do valor foram n’ellas com as mais gloriosas acções immortalisar os seus nomes; o segundo, um estrangeiro que escolheu por patria adoptiva esta terra, que illustrou com os mais proveitosos trabalhos litterarios; e remate este pregão da gloria portugueza um escriptor contemporaneo, que embora adversario do Poeta, cuja vida escrevemos, expiou a sacrilega audacia que lhe soprou o amor proprio, exaltando na prosa a mais sublime o valor e sabedoria da nação, cujos altos feitos ousou cantar em competencia com o archi-Poeta portuguez.

«Não ha duvida (diz Pedro Nunes) que as navegaçoens deste reino de cem annos a esta parte são as mayores: mais maravilhosas: de mais altas e mais discretas conjeyturas que as de nenhuma outra gente do mundo. Os Portuguezes ousarão cometer o grande mar occeano: entrarão por elle sem nenhum risco: discobrirão novas ylhas, nova terra, novos mares, novos povos e o que mais he: novo ceo e novas estrellas e perderão lhe tanto o medo que nem a quentura da torrada Zona: nem o descompassado frio da extrema parte do Sul com que os antigos es

1 Vide nota 1.a 2 Vide nola 2.4 3 Vide nota 3.

« VorigeDoorgaan »