Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

Templo execrando :... eis largo fòsso em roda
Vivo o quer separar do franco aos vivos
Commércio humano; pois os mais que o tractam,
São so feras, são monstros! a luz mesma
Dos ceos, patentes ao mais rude escravo,
Se lhe tolhe, e a favor d'escassa fresta
Mal lhe dão que respire um ar corrupto.
Sette portas de bronze, e outros tantos
Postigos, de que pende massa enorme
De ferrôlho tenaz, mais o resguardam;
Arrepiam-se as carnes, e o cabello *
D'ouvir-lhes o estridor, de o vulto olhar-lhes!
La privados lhe são os utensilios
Nescessarios á vida : mesmo aquelles
Que mais perto o vigiam, no teem arma;
E o comer proprio alli se lhe examina,
Afim de que entre tantos scelerados
Um talvez não se encontre, que piedoso
A morte lh'antecipe!... É d'ésta horrenda
Masmorra, onde Chambom, recente maire,
Vem conduzi-lo á barra criminosa,
Que busca interrogá-lo sôbre culpas
Que ella so cometteu: e alli, sustido
Per algum anjo interno, inda resfolga,
Respira inda o magnanimo monarcha,
Respondendo a questões, que em próva sua
So teem por documentos fraude e dolo;

• Verso de Camoes.

Cuja refutação e longo exame,
Se lh'aprazam somente per dous dias!

Mas em seu exterior sem gala, ou pompa,
Sem nada mais de rei, que a voz e alma!
Ao ver-lhe a face macerada, e o roixo
Labio mudo, seu traje mais que simples,
C'o a longa barba intonsa, parecêra
Um d'esses infelices, que seu êrro,
Ou alheia omissão, per tempos largos
Subterrado escondeu; mas que de resto
Á luz volve de barbara enxovia!

Ao ouvir-lhe a phrase magestosa, e augusta,
Julgar-se-hia algum d'esses venerandos
Inspirados dos ceos, que após d'austera
Penitencia em deserto, ou lapa obscura
Olhou a primitiva, annunciando
Alta serie d'incognitos futuros!...

Desde a manhan viera, e alli retido
Até a tarde longa, em quanto chega
O duro conductor, não o monarcha
De vinte milhões d'almas, que nutríra,
Mas a debil cansada natureza
Solicíta, oh! requer fatia breve
D'humilde pão, que possa confortá-la!...

Debalde o velho illustre Malesherbes,
D'oitenta annos o gêlo saccudindo,

Toma um fresco vigor em defendê-lo;
Nem com mais fructo o jovene de Sése
Chama a si a provecta madureza
D'outro Cicero novo, que faria
Revogar a sentença a novo Cesar!...
Mas em logar de Cesar, feios brutos,
Brutos por condição, mais que por nome,
Alli so ha, e torpes conspirados,

Que d'um lado Orleans, co'a venenosa
Lente sua escandece, e d'outra parte
Accende Robespierre, esse perverso,
Successor em maldade comoem sangue,
Do infame Damiens, porque o assassinio
Que o avô verificar no avô não pôde,
O neto o verifique sôbre o neto!

Ah! chega finalmente a crise enorme
De proferir-se a barbara sentença!
Forçada lei d'um tribunal forçado,
Nullo abuso illegal, inconsequente
Nos seus mesmos principios, per effeito
D'uma arrastada e falsa maioria

Onde um voto se compra, outro s'inverte, (Qual o teu, Valasé, qual o de muitos!)

Manda que expire o rei ; é d'elle o crime
Vontades d'elles!

Mas onde, onde haverão peitos de bronze Que possam intimar-lhe a atroz sentença ?...

Nada em que mais abunde a curia infame!
Garat e Hebert são d'ella os conductores :
Constante o rei os ouve inalteravel...
E mais não pede, do que so dous dias
De dilação, a fim de preparar-se

A responder em tribunal mais justo,
Onde um dia eu e vós responderemos !
Porêm o curto prazo, concedido

Ao reo mais depravado, ao rei se nega;
E lhe annunciam, que a manhan seguinte
A postrema será que o sol lhe raie!

Seu esp'rito depura, e o fortalece
C'o mysterioso pão, que n'outro tempo
Partiu per seus amados o escolhido,
E que na grave ceia consagrado
(Segundo a veneranda crença sua )
Perdeu o antigo ser, e Deus foi logo!...

D'est'arte preparado, assim disposto
Mais não resta, que ver em despedida
Sua augusta familia :... ah com que côres
Pintar-vos poderei, pois mando é vosso,
falhe o pincel, os tristes lances
D'uma scena a mais tragica? Immatura,
Crua separação d'esposo e esposa

Sem que

Os mais ternos! Um laço, que nefando Golpe duro cortou, mas que outro golpe Reunir ádepressa sobre o mesmo

Jazigo, em cal involto, e raza a campa,
Sein orador que o fado lhes enfeite,
Sem pranto que lhes honre a sepultura.

Depois que o rei á tôrre se passára,
Atélli não lhe fôra concedido
Sem testimunhas ver sua familia;
E ao vê-lo agora so, inesperado,
Tranquillo o rosto, e proprio da grandeza
De seu peito immutavel, suppõe ella
Talvez os seus trabalhos terminados;
Ah! terminados sim, mas duro ferro
Terminá-los devia! e mal que escuta
A pena capital, que lh'era imposta,
É um grito geral o accolhimento
Da funesta notícia; um grito informe,
Que nas feias abobadas retumba,
E que enfiando as breves gelozias
Vai longe divulgar a mágoa acerba!
Apos vária attitude, gestos varios,
Que a seu arbitrio a livre dor motiva,
Póde o terno Delphim poupar-se aos guardas
E voa até aos pateos, van clemencia
Implorando d'um povo, que raizes

Tem sobre o coração, e tronco é duro;
Ah! misero menino ! inda os teus mesmos
Dias não serão longos! D'outra parte
S'escapa Elisabetha em vão buscando
Levar seus ais, seus rogos a uma juncta

« VorigeDoorgaan »