Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

DO THEATRO

PORTUGUEZ

POR

THEOPHILO BRAGA

VIDA DE GIL VICENTE E SUA ESCHOLA

SECULO XVI

PORTO

IMPRENSA PORTUGUEZA EDITORA

277.

[blocks in formation]
[blocks in formation]
[merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small]

A contar do seculo XVI, com o predominio da so

ciedade burgueza, as creações artisticas receberam uma alteração profunda na sua ordem de concepção; o desdobramento natural: epopêa, lyrismo e drama, inverte-se de ora em diante por influencia da renovação social. A poesia dramatica, que até aqui tinha sido uma forma accidental da arte, torna-se a principal manifestação do genio popular; a Inglaterra, a Hespanha e a Italia levantam o admiravel e riquissimo theatro europeu. A poesia epica, que fôra a principio a obra em que trabalhava uma nação inteira, perdeu o seu caracter de generalidade anonyma, desnaturou-se, ficou privativa das Academias. A poesia lyrica, com os sentimentos e paixões de uma sociedade nova, tornou-se mais ampla e individual. por isso que entrando no periodo da historia da Litteratura portugueza no seculo XVI, começamos pelo theatro nacional, que bem poderamos intitular Vida de Gil Vicente, e sua Eschola.

« VorigeDoorgaan »