Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

poldo Bayard, Official Maior de Secretaria d'Estado dos Negocios Estrangeiros, na importante Commissão de que foi encarregado á Côrte de Munich para ajustar o Meu Casamento com Sua Alteza Real o Duque de Leuchtenberg, a qual desempenhou com o seu costumado zelo e intelligencia: Hei por bem Fazer-lhe Mercê do Titulo do Meu Conselho, com o qual haverá e gosará todas as honras, preeminencias, liberdades, e isempções que hão e tem os do dito Conselho, e que como tal lhe competem. Jurará nas mãos do Ministro e Secretario d'Estado dos Negocios do Reino que dará Conselho fiel e tal como deve quando eu lho Ordenar; e para firmeza do que dito he lhe Mandei passar a presente que vai por Mim assignada e sellada com o Sello pendente das Armas Reaes Pagou de Novos e Velhos Direitos 11,200 reis, que se carregarão ao Thezoureiro delles a folhas 160 do Livro primeiro da sua receita, como constou por um conhecimento em forma pelo mesmo Thezoureiro assignado, e pelo escrivão do seu cargo. Dada no palacio das necessidades aos 5 dias do mez de Dezembro do Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus-Christo de 1834.

(L. S.)

A RAINHA (Com Rubrica, e guarda).

BISPO CONDE FR. FRANCISCO.

Carta porque Vossa Magestade ha por bem Fazer Mercê a Ildefonso-Leopoldo Bayard, Official Maior da Secretaria d'Estado dos Negocios Estrageiros, do Titulo do Seu Conselho; como acima se declara. Para Vossa Magestade vêr. Passou e por Decreto de 25 de Novembro de 1834. Felix-Antonio Xavier a fez.

Eu lhe dei o juramento.

BISPO CONDE FR. FRANCISCO.

Secretaria d'Estado dos Negocios de Reino, em 14 de Fevereiro de 1835.

XXXVI.

Tendo em consideração o merecimento, bons serviços e fidelidade de Ildefonso-Leopoldo Bayard, do Meu Conselho, e Official Maior de Secretaria d'Estado dos Negocios Estrangeiros, e esperando eu que elle continuará a manifestar o mesmo zelo no Meu Real serviço, de que sempre deu provas: Hei por bem de o Nomear Meu Enviado Extraordinario e Ministro Plenipotenciario junto de Sua Magestade o Imperador d'Austria, com o ordenado que lhe fôr marcado no orçamento. A qual commissão irá desempenhar logo que se achem restabelecidas as relações politicas entre esta Corte e a de Vienna, ou quando a conveniencia do serviço o exigir. O Duque de Palmella, Par do Reino, Conselheiro, Ministro e Secretario d'Estado dos Negocios Estrangeiros, o tenha assim entendido, e faça executar com os despachos necessarios.

RAINHA,

DUQUE DE PALMELLA.

Palacio das Necessidades, aos 6 de Novembro 1835.

XXXVII.

Attendendo ao que Me representou o Conselheiro IldefonsoLeopoldo Bayard, sobre o mau estado da sua saude : Hei por bem exoneral-o do Emprego de Official Maior de Secretaria d'Estado dos Negocios Estrangeiros. O Visconde de Sá da Bandeira, do Meu Conselho, Ministro e Secretario d'Estado dos Nogocios da Fazenda, encarrega do interinamente do dos Negocios Estrangeiros,

o tenha assim entendido, e o faça executar com os Despachos ne

cessarios.

RAINHA,

VISCONDE DE SA DA BANDEIRA.

Palacio das Necessidades, em 13 de Setembro de 1836.

XXXVIII.

Tendo em consideração o merecimento, bons servicios, e fidelidade de Ildefonso-Leopoldo Bayard, do Meu Conselho, a quem por Decreto de 6 Novembro de 1835 Nomeci Meu Enviado Extraordinario e Ministro Plenipotenciario junto a Sua Magestade o Imperador d'Anstria; Hei por bem transferi-lo na mesma cathegoria para junto a Sua Magestade o Imperador do Brasil, com o ordenado que se marcar no orçamento. O Conde do Bomfim, Presidente do Conselho de Ministros, Ministro e Secretario d'Estado dos Negocios da Guerra, encarregado interinamente da Repartição dos Negocios Estrangeiros o tenha assim entendido, e o faça executar com os Despachos necessarios.

RAINHA,

CONDE DO BONFIM.

Palacio das Necessidades, em 27 de Dezembro 1839.

XXXIX.

Para o Imperador do Brasil,

Serenissimo e Potentissimo Senhor Dom Pedro II, Imperador do Brasil, Meu Bom e Querido Irmão. Eu Dona Maria, por Graça de Deos, Rainha de Portugal, e dos Algarves, d'aquém, e d'além

Mar, em Africa Senhora de Guiné, e da Conquista, Navegação e Commercio de Ethiopia, Arabia, Persia e da India, etc. Envio muito saudar a V. M. I. como aquelle que muito amo e preso. Dezejando ter junto de V. M. I. quem seja o interprete dos fraternaes. sentimentos que tributo a V. M. I., e que trate de estreitar cada vez mais as relaçoens de parentesco que nos unem, e a amizade que felizmente subsiste entre as nossas Corôas e Nações, assim como de promover a protecção aos nossos respectivos subditos tão ligados por connexões de commercio, e de alliança; tenho designado a Ildefonso-Lepoldo Bayard, do Meu Conselho, Cavalleiro da Ordem de Nosso Senhor Jesus-Christo, e Commendador da de Nossa Senhora da Conceição de Villa Viçosa, para o honroso cargo de Meu Enviado Extraordinario e Ministro Plenipotenciario junto de V. M. I. As boas qualidades que o distinguem, affianção o zelo e efficacia com que espero hade procurar merecer o beni- · gno acolhimento e estimação de V. M. I. Queira pois V. M. I. dar inteiro credito a quanto em Meu Nome lhe houver de expor este Meu Ministro, principalmente pelo que respeita á efficacia com que lhe recommendo que não cesse de procurar manter a boa harmonia, e perfeita intelligencia que convèm aos verdadeiros interesses das duas Nações. Serenissimo e Potentissimo Senhor Imperador Meu Bom a Querido Irmão. Nosso Senhor haja a Pessoa de V. M. I., e o seu Imperio em sua santa guarda.

[ocr errors]

De Vossa Magestade Imperial,

Boa Irmã,

RAINHA,

CONDE DE VILLA-REAL.

Escripta no Palacio das Necessidades, em 27 de Março 1840.

XL.

Eu a Rainha de Portugal e Algarves. Faço saber aos que este Meu Alvará virem Que Tendo de Mandar ao Imperio do Brasil pessoa que em Meu Real Nome haja não só de tomar posse dos bens que naquelle Imperio Me pertencerão em legitima por morte de Sua Magestade Imperial, o Senhor Dom Pedro, Duque de Bragança, Meu Augusto Pae, que em Glória descança, mas dos que Me possão pertencer pela herança de Minha fallecida Irmã a Princesa Dona Paula, e Confiando esta Commissão do zelo e intelligencia de Ildefonso-Leopoldo Bayard, do Meu Conselho, e Meu Ministro residente junto a Sua Magestade Imperial, o Senhor Dom Pedro Segundo, Imperador do Brasil, Meu Augusto Irmão. Hei por bem constitui-lo, como constituo Meu bastante procurador no sobredito Imperio, para Me representar em todos os Meus negocios particulares e de Familia, tanto em juizo, como fóra delle, e poder em consequencia em Meu Real Nome assistir a quaesquer Inventarios e Partilhas a que se tenha já dado começo, ou a que se haja de proceder, em que Eu Seja Interessada; requerer e defender os Meus Direitos, usando dos termos e recursos legaes, tomar conta e posse de quaesquer bens de raiz, e receber quaesquer fundos, papeis de credito, moveis, e semoventes que Me pertenção; e de promover a venda de uns e outros em hasta Publica com as solemnidades das Leis, hindo o seu producto a deposito no Banco, ou no Deposito Publico da Cidade do Rio de Janeiro, segundo as Instrucções, que nesta mesma data serão entregues ao dito Meu procurador Ildefonso-Leopoldo Bayard, assignadas por Dom Manoel de Portugal e Castro, do Meu Conselho, Gentil Homem da Minha Real Camara, Vedor da Fazenda da Minha Real Caza, e Meu procurador nesta Côrte, por intervenção do qual, aquelle que por este Constituo no Imperio do Brasil, Me dará

« VorigeDoorgaan »