Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

Meus olhos, vos abristes, Cerrára-vos o somno eternamente, Antes que vêr-vos tristes, Perdendo tão suave e doce engano! Agora, com meu dano, Védes, para mór mágoa, claramente, Neste bem fugitivo e somno leve,

Que mal não ha mais longo, que hum bem breve.

Ditoso Endymião que a deosa chara,

Que a noite vai guiando,
Teve em braços sonhando!

Ah quem de sonho tal nunca acordára!
Tu só, Aurora avara,
Quando os olhos feriste,
Me mataste cruel d'inveja pura.
Mas se d'esta alma triste
escuridão vencer quizeste,
Sabe qu'em vão nasceste;
Que para desfazer-se a nevoa escura
De meus olhos, importa estar presente
Outro sol, outra aurora, outro Oriente.

A

negra

Se a luz de meu Planeta,
Não m'aviva, Canção, branda e quieta,
Qual flor de chuva, em breve consumida,
Verás desfeita em lagrimas a vida.

CANÇÃO XVI

Por meio d'humas serras mui fragosas,
Cercadas de sylvestres arvoredos,
Retumbando por ásperos penedos,

[ocr errors]

Correm perennes ágoas deleitosas.
Na ribeira de Buina, assi chamada,

Celebrada,

Porqu'em prados
Esmaltados

Com frescura

De verdura,

Assi se mostra amena, assi graciosa, Qu'excede a qualquer outra mais formosa;

As correntes se vem, que acceleradas,
As hervas regalando e as boninas,
Se vão a entrar nas ágoas Neptuninas,
Por diversas ribeiras derivadas.

Com mil brancas conchinhas a aurea areia

Bem se arreia;

Voão aves;

Mil suaves

Passarinhos
Nos raminhos

Acordemente estão sempre cantando,
Com doce accento os ares abrandando.

O doce rouxinol n'hum ramo canta,

E d'outro o pintasirgo lhe responde;
A perdiz d'entre a mata, em que s'esconde,

O caçador sentindo, se levanta:

Voando vai ligeira mais que o vento;

Outro assento

Vai buscando;

Porém quando
Vai fugindo:
Retinindo,

Traz ella mais veloz a setta corre,
De que ferida logo cahe e morre.

Aqui Progne d'hum ramo em outro ramo,
Co'o peito ensanguentado anda voando,
Cibato para o ninho indo buscando;
A leda codorniz vem ao reclamo
Do sagaz caçador, que a rede estende,

E pretende

Com engano

Fazer dano

Á coitada,
Qu'enganada

D'huns esparzidos grãos de louro trigo,
Nas mãos vai a cahir de seu imigo.

Aqui sóa a calhandra na parreira;
A rôla geme; palra o estorninho;
Sahe a candida pomba do seu ninho;
O tordo pousa em cima da oliveira:
Vão as doces abelhas susurrando,

E apanhando

O rocio

Fresco e frio

Por o prado
D'herva ornado,

deo

Com que o aureo licôr fazem, que
Á humana gente a indústria d'Aristeo.

Aqui as uvas luzidas, penduradas
Das pampinosas vides, resplandecem;
As frondiferas árvores se offrecem
Com differentes fructos carregadas:

Os peixes n'ágoa clara andão saltando,
Levantando

As pedrinhas,
E as conchinhas

Rubicundas,
Que as jucundas
Ondas comsigo trazem, crepitando
Por a praia alva com ruido brando.

Aqui por entre as serras se levantão
Animaes Calidoneos, e os veados
Na fugida inda mal assegurados,
Porque do som dos proprios pés s'espantão.
Sahe o coelho, e lebre sahe manhosa

Da frondosa

Breve mata,

Donde a cata

Cão ligeiro.

Mas primeiro

Qu'ella ao contrário férvido s'entregue,
Ás vezes deixa em branco a quem a segue.

Luzem as brancas e purpúreas flores,
Com que o brando Favonio a terra esmalta;
O formoso Jacintho alli não falta,
Lembrado dos antiguos seus amores,
Inda na flôr se mostrão esculpidos

Os gemidos:
Aqui Flora

Sempre mora;

E com rosas

Mais formosas,

Com lirios e boninas mil fragrantes,

Alegra os seus amores circumstantes.

Aqui Narciso em líquido crystal
Se namora de sua formosura:

Nelle as pendentes ramas da 'spessura
Debuxando-se estão ao natural.
Adonis, com que a linda Cytherea

Se recrêa,

Bem florido,

Convertido

Na bonina,

Qu' Erycina

Por imagem deixou de qual sería
Aquelle por quem ella se perdia.

Lugar alegre, fresco, accommodado
Para se deleitar qualquer amante,
A

quem com sua ponta penetrante
O cego Amor tivesse derribado;
E para memorar ao som das ágoas

Suas mágoas
Amorosas,

As cheirosas

Flores vendo,
Escolhendo,

Para fazer preciosas mil capellas,

E dar por grão penhor a Nymphas bellas.

Eu dellas, por penhor de meus amores,
Huma capella á minha deosa dava:
Que lhe queria bem, bem lhe mostrava
O bem-mequeres entre tantas flores:
Porém, como se fôra mal-mequeres,

« VorigeDoorgaan »