Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

avaro do seu thesouro, antes nosso, os seus Lusiadas, que o confiava para d'elle se tirar traslado antes da sua impressão, como sabemos com certeza, que caso faria das suas poesías lyricas que por certo deveria ter em menos preço?

Tres comedias ou autos, como é sabido, nos deixou Camões: os Amphitriões, a de Filodemo e a de El-Rei Seleuco, que se imprimiu depois. Examinando com reflexão a novella dramatica de Filodemo se conhecerá pelo estylo apaixonado que apparece de quando em quando que o Poeta pretende de alguma maneira desafogar o seu mau humor, isto por certas referencias que são faceis de colher, queixando-se de contradicções experimentadas, e contra aquelles que lhe roubaram a vista da sua amante. Está esta peça não pouco incorrecta no metro e na prosa e em partes } cheia de inepcias que nunca Camões proferiu, como trocar valle Luso por val Chiusa, e outras. Á vista d'isto, pela confrontação de um manuscripto, me resolvi a po-la em melhor ordem, addicionando-a com logares omittidos, e á vista tambem da rarissima primeira edição.

Se formos accusados de divulgarmos incorrectas as poesias do Poeta, como já o fizeram os nossos antecessores, se a sua sombra surgisse e nos increpasse d'este abuso de fé de as irmos buscar á mánada dos engeitados, como elle chama a esses filhos mal gerados da sua Musa; se como o poeta latino nos clamasse defuit scriptis ultima lima meis, lhe responderiamos afoutamente: Fizemo-lo, porque os vossos defeitos se approximam ainda ás perfeições alheias; porque tambem do lodo se extrahe o oiro, da concha se tira a perola. Aonde apparecer o erro attribua-se ao copista, quer antigo, quer a quem agora de novo o traslada, e a reputação do Poeta fica incolume.

Na reproducção das poesias já publicadas fomos assaltados de uma perplexidade inevitavel no systema que tinhamos a adoptar. Deveriamos dar textualmente as edições princeps das Rimas? Comquanto este alvitre nos livrasse de graves embaraços, e o seguiriamos incontestavelmente se tivessemos a certeza que as suas poesias fossem copiadas dos autographos, incorreriamos comtudo no inconveniente de apresentar ao publico, nem sempre facil de contentar, uma edição com que não está acostumado, e assim preferimos dar-lhe a edição de Manuel de Faria e Sousa, reproduzida por Thomás de Aquino e retocada aqui ou acolá pelos

eruditos editores da edição de 1834, os srs. José Victorino Barreto Feio e José Gomes Monteiro. Porém, para contentar tyrios e troyanos, nos lembrou dar em notas as variantes d'estas edições princeps, acrescentadas de algumas outras de manuscriptos que tivemos occasião de percorrer. A ordem que seguimos n'estas annotações é esta: damos uma explicação da poesia a que se allude na nota, as observações de alguns expositores, principalmente de Manuel de Faria e Sousa, ás quaes ajuntamos as nossas, as imitações de alguns escriptores e as variantes; o texto da edição vae em italico e as variantes e o mais em redondo. D'esta arte o leitor se tornará possuidor, com a acquisição d'esta nova edição, das outras rarissimas e mui difficeis de obter, conciliando-se por esta fórma os differentes paladares dos leitores; e para que estes podessem adquirir o conhecimento como se foram colleccionando estas poesias nas successivas edições até á ultima que precedeu a que ora sáe, julguei conveniente juntar uma tabella chronologica, accusando a edição em que appareceram pela primeira vez, reunindo tambem as ineditas que novamente dou a publico. Estas não vão na ordem em que as encontrei nos manuscriptos, desfiei-as para as enfiar em rosarios de sonetos, canções, elegias como aquelles que me precederam, para facilitar o conhecimento das citações, o que certamente eu não faria se fosse o primeiro editor das obras d'este ou de outro qualquer auctor, pois antes preferiria seguir uma ordem chronologica, procurando quanto fosse possivel ligar-me á epocha das composições para mostrar o incremento progressivo do desenvolvimento do genio do auctor, e marcar as differentes phases da sua vida.

para

Não nos cabe aqui logar, nem nos julgamos habilitados condignamente avaliar as bellezas das poesias de Camões, o que tentaremos comtudo fazer em notas até onde chegarem as nossas forças. Pedimos comtudo venia ao sabio philologo e eloquente prosista, o respeitavel bispo de Vizeu D. Francisco Alexandre Lobo, já finado, e cuja memoria muito acatamos, para divergir da sua opinião ácerca da resumida selecta que fez das melhores poesias do nosso auctor. Elevado á mais alta posição hierarchica no estado ecclesiastico, e por isso não iniciado, como elle proprio confessa, n'estas materias, obrigado, para me servir da expressão do nosso mesmo Camões, a quebrar pensamentos profanos na pedra do furor santo, não admira que não se atrevesse

a prescrutar e revelar os mysterios amorosos que encerram as ternas e maviosas poesias do poeta, cuja vida escrevia, e que o calor d'estas não aquecesse a quem abrazava amor mais puro, desligado pela idade e elevado ministerio de todo o terreno.

E por poetas, como bem adverte um poeta portuguez, que os poetas devem ser lidos e avaliados; é na idade viril, quando arde o coração, quando a vida resvala por entre as flores das illusões, apartando de si os abrolhos aridos do positivismo, que mata todos os gosos da alma, afasta todo o pensamento nobre, que a poesia deve ser lida e apreciada. Hospede ex professò d'esta arte encantadora, porém nem por isso amando menos os seus primores quando os maneja o genio, limitar-nos-hemos pois a deixar consignadas aqui ou ali as impressões que recebemos das bellezas poeticas do nosso auctor. E como, aindaque a diversidade de estado nos não tolhe, como ao illustre prélado a que alludimos, passeiar mais desafogadamente por entre este ameno jardim de flores, respirando-lhe as ultimas fragrancias, a idade que vae decaíndo póde esfriar o enthusiasmo, procuraremos avivar as cinzas amortecidas que cobrem ainda um resto de fogo, que tem em breve de reduzir-se a ultimas cinzas, faremos ascender ao coração a ultima seiva, para que este verdeje como a planta que por isso que brota já no outono, tem que seccar na proxima primavera, quando a vida se anima para tudo e para todos. Não espere pois o leitor ver-nos friamente com os quatro codigos poetico-architectonicos em uma mão, e o compasso na outra, traçar taboleiros quadrados, redondos, de varias fórmas onde encerre estas flores n'esses jazigos que abafam, acanham a planta. Sei bem que nem sempre as poesias do nosso grande Poeta satisfazem os nimiamente rigoristas; muitas vezes o soñeto se transforma no idylio, outras no madrigal, que o Poeta geme na canção, se serve da elegia para exaltar um heroe, como Virgilio na egloga eleva o tom talvez mais alto do que seria conveniente á rudeza de pegureiros; mas que me importa, se quasi sempre é bello; que me importa o titulo, se eu avalio o poema por o que elle é; que me importam as nuvens quando o sol dardeja os seus raios, as fulmina e dissipa?

Parece-me n'este logar opportuno prevenir tambem o leitor

1 Poeticas de Aristoteles, Horacio, Vida e Boileau.

contra a nimia severidade de alguns grammaticos, para quem o mais pequeno erro, uma virgula mal disposta é crime horrendo, apaga o merecimento real de um auctor que tenha obtido todos os fóros e titulos para se alistar na cohorte dos mais conspicuos escriptores; o parricida é innocente ao lado do grammaticida; Cicero não concebeu maior prazer quando encontrou a sepultura de Archimedes; eu, permitta-se-me a comparação porque é só no goso, quando descobri alguns documentos comprovativos para a biographia do nosso Epico, de que quando estes encontram a mais pequena falta ou omissão contra as leis inexoraveis da grammatica; e se o delinquente é um Virgilio, um Dante, um Petrarcha, um Ariosto, um Camões, um Tasso ou um Milton, o coração é vaso estreito para o jubilo; e se estes novos esquadrinhadores não podem como o Gama ir devassar o berço do sol, ou como Colombo rasgar o véu que nos occultava um mundo novo, podem ao menos denunciar-nos que este ou aquelle grande genio trocou um adverbio por uma conjuncção, caso, na opinião de Erasmo, digno de abalar todo o genero humano a uma guerra sanguinolenta. Na verdade quando os vejo tão empenhados, e ás vezes tão irritados e encarniçados n'estes ataques, não posso deixar de me recordar com saudade do prazer do discipulo nas escolas, quorum magna pars fui, que anhela nos duellos da tabuada em dar o quinau ao condiscipulo; e como nem sempre reina a maior placidez e imparcialidade n'estas disputas nugatorias, acontece que mais de uma vez faltam ao oitavo preceito do decalogo, attribuindo ao auctor os erros do copista, e os inevitaveis e muito desculpaveis do typographo1, erros que dizia o meu sabio mestre o monge de Alcobaça e arcebispo de Evora Fr. Fortunato de S. Boaventura, que deram vocabulos á lingua materna, sendo indiscretamente introduzidos nos Lexicons nacionaes. Com isto não quero dizer que se não tenha todo o cuidado e circumspecção em escrever correctamente, que não seja uma belleza, direi mesmo uma obrigação; porém quem se der a estas correcções, faça-as como o passageiro polido que se vê caír na rua o lenço áquelle que o

1 Sómente quem não vê trabalhar uma typographia é que não sabe avaliar o trabalho que uma obra dá para se imprimir; se nos lembrarmos que para uma folha de impressão no typo 12 em que esta obra é impressa, é necessario manusear e ajuntar de vinte a trinta mil fetras, é que póde julgar a difficuldade de não incorrer uma ou outra vez em uma incorrecção.

precede, levanta-o, adverte-o que lhe caíu, entrega-lh'o e passa adiante. Nem tão pouco pretendemos menoscabar uma classe que muito respeitámos, que se dá a estudos nimiamente aridos para outros, não elles, colherem o fructo das suas lucubrações; só alludimos a excessos parciaes, só nos levantamos contra os amoucos da arte.

Grande foi a difficuldade com que lutámos para pôr em pratica o plano que haviamos adoptado para esta edição, pela penuria das edições das Rimas, pois, comquanto fossemos possuidores de bastantes, infelizmente nos faltavam as princeps, nem estas se encontravam todas na bibliotheca nacional antes da acquisição das que possuiam D. Francisco Manuel de Mello e Thomás Norton; é mesmo comquanto sejamos excessivamente bem recebidos e com a maior amabilidade por todos os empregados d'aquelle estabelecimento publico, sempre uma pessoa tem acanhamento em dar trabalho, procurando simultaneamente muitos livros ao mesmo tempo, nem é facil conferir fóra de casa em sitios diversos (pois como já advertimos faltavam no estabelecimento as edições), e principalmente quando algumas vezes tem que se conferir e trabalhar com precipitação para acudir ao expediente da impressão.

D'estes embaraços nos tirou o obsequioso offerecimento do sr. João Felix Minhava (sem o qual nos seria difficil progredir), pondo á nossa disposição as edições que possuia da sua collecção, e o mesmo favor devemos aos srs. Jacinto da Silva Mengo e João José Barbosa Marreca.

Reservámos para o fim a Epopéa, não só por ser a ordem mais chronologica, e imitarmos n'isto alguns editores das obras de Virgilio, mas para nos acharmos mais desembaraçados, e podermos convergir todos os nossos esforços para a mais seria attenção na publicação do poema nacional. É nossa tenção, por ora, a qual variaremos comtudo se formos melhor aconselhados, darmôs textualmente a chamada segunda edição de 1572, a qual será acompanhada de tabellas de variantes, não só da que saíu no mesmo anno, mas das outras. Quando ahi chegarmos invocaremos a assistencia de pessoas doutas, as quaes esperamos nos queiram auxiliar com os seus esclarecidos conselhos, para que possamos conseguir o fim de podermos expor ao publico este thesouro nacional o mais limpo de impurezas e imperfeições.

« VorigeDoorgaan »