Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

Parabens; já somos livres ;
Já brilhante e senhoril

Vai juntar-se em nossos lares
A assembléa do Brasil.

(2).

Brava gente brasileira, etc.

Em 16 de Agosto de 1822.

(2) Este e os outros hymnos da independencia aqui insertos, com exclusão do quinto, são pura copia dos autographos existentes no archivo do Instituto.

TOMO XL, P. II

8

2o

HYMNO MARCIAL

Valentes guerreiros,
Que a fama buscais
E as armas alçais

A novo explendor;

Mostremos ao mundo

Bravura, energia;

A patria confia

No nosso valor.

Oh! vós, que aos clamores

Da Patria correstes

E nada temestes

No heroico fervor;

Mostremos ao mundo, etc.

E vós, que, seguindo

As novas bandeiras,

Antigas fileiras

Deixastes sem dôr;

Mostremos ao mundo, etc.

Ouvi de Bellona

O grito que entôa;

Ao longe já sôa

Da guerra o fragor.

Mostremos ao mundo, etc.

Se vive na fama

De heroes a memoria,

Salvou-os a gloria

Do tempo ao furor.

Mostremos ao mundo, ete.

Que horror nos combates!
Que p'rigos no assalto!
Mas, falla mais alto

O bellico ardor.

Mostremos ao mundo, etc.

Os chefes zelosos

Vos vão excitando ;

Marchai ao seu mando,

Sem susto ou temor.

Mostremos ao mundo, etc.

Fiel disciplina

De Marte é diviza ;

Seguir-se precisa

A vóz sup❜rior.

Mostremos ao mundo, etc.

A mão bem feitora

De Pedro immortal
Quiz ser liberal

Em nosso favor.

Mostremos ao mundo, etc.

Os seus beneficios
Nos peitos guardai
E gratos lhe dai

Mil provas de amor.

Mostremos ao mundo, etc.

Em vós, ó! guerreiros!

A patria descansa ;

Da sua esperança
Vós sois o penhor.

Mostremos ao mundo, etc.

Por vós não receia

Inimigos alfanges,

Nem teme as phalanges

De injusto oppressor.

Mostremos ao mundo, etc.

Da esposa e dos filhos
Quem guarda o direito
Não teme o seu peito
Aos tiros expôr.

Mostremos ao mundo, etc.

Corramos á gloria,

Que assim nos convida;

Mais vale que a vida

Da patria o louvor.

Mostremos ao mundo, etc.

Em 19 de Agosto de 1822

3o

INDEPENDENCIA OU MORRER

Ouvi, o povos, o grito
Que vamos livres erguer;
O Brasil sacóde o jugo:
Independencia ou morrer.

Leis que a impostura ditava
Não mais devemos soffrer;
Ferros nunca, nem dourados:
Independencia ou morrer.

Congresso oppressor jurára
Nossos fóros abater;
Em seu despeito, jurámos :
Independencia ou morrer.

Um povo que quer ser livre,
Livre por força ha de ser ;
E' esta a lei das nações:
Independencia ou morrer.

Temos heróe que trabalha
Em nosso jús defender;
Longe fuja o servilismo;
Independencia ou morrer.

Unem-se força e direito
Para as cadeas romper :
Mão real as despedaça:
Independencia ou morrer.

« VorigeDoorgaan »