Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

São os seus terrenos dos mais productivos de todo o municipio. As suas inextricaveis mattas seculares e a sua natural configuração e disposição geologica promettemlhes um grandioso futuro, si os seus proprietarios souberem aproveital-os por meio de uma nova organização do trabalho, de modo a conjurarem em tempo a crise que a falta do braço servil tem de por força occasionar.

Repetirei com o illustrado auctor do Almanak:

«O viajor que por suas mattas se embrenha fica extatico ante a enorme e inesgotavel prodigalidade da natureza, e os seus grandes dotes augurão-lhe em breves tempos o futuro e a missão de ser um dos primeiros municipios da provincia, si houver, como é de esperar, um accordo geral de todos os seus grandes interesses.»

E' prodigiosa a diversidade de madeiras que encerram, que ficaram por longos annos intactas e inaproveitadas por causa da sua situação muito acima das extensas e arriscadas cachoeiras do Muriahé. Em 1864, porém, João Lopes da Silva Lima, um d'estes arrojados sertanistas que lembra os famosos bandeirantes paulistas dos primeiros tempos, e emprehendedor como elles, ousou exploral-as e conseguiu extrahir mais de cem duzias de coucoeiras de jacarandá, do melhor que o mercado tem visto, e, superando innumeras difficuldades, abriu á parochia mais esta fonte de industria e riqueza. Este nosso ousado sertanejo falleceu, victima da sua tenacidade nas privações de semelhante commettimento, em uma humilde choça do Arrayal de Santo Antonio, legando aos industriaes um tocante exemplo de amor ao trabalho, longe do conchego do lar domestico e das placidas alegrias da familia.

Apesar dos enormes gastos do transporte, o jacarandá e a peroba, de que abunda a localidade, continuam a ser explorados. Quando a estrada do Carangola completar o seu traçado, maior desenvolvimento terá por certo a industria extractiva da freguezia com o estabelecimento de serrarias, que proporcionarão ao mercado a madeira já reduzida'a taboas e pranchões, de mais facil conducção, aproveitando-se tambem as outras variedades de madeira de que estão pejadas aquellas florestas. O terreno presta-se, como os melhores da provincia, para a cultura do café. Ha igualmente localidades em que a canna de assucar dá tão bem como nas terras baixas do municipio. Sirvam de prova do asserto as fazendas, tocadas por agua, de S. Pedro, propriedade do dr. José de Siqueira Tinoco, e a de Todos os Santos, que pertenceu ao snr. Manuel Joaquim Ribeiro de Castro.

Esses terrenos, situados em uma zona temperada e sob um clima secco, são appropriados a todas as culturas adoptadas no municipio e ás da vinha, do cacau, da baunilha, do fumo, do algodoeiro, &. A sua lavoura, porém, especial é a do café e a sua industria, além da extractiva, a de criação do gado.

A criação do bicho da seda e a das abelhas estão apontando aos carangolenses uma industria nova, seguramente lucrativa. A do gado suino, para exportar em pé ou aproveitado em todos os productos a que pode reduzir-se, daria para manter na localidade um estabelecimento central occupado do preparo de taes productos, com que não só se abasteceria o mercado de Campos e circumvisinhos, como tambem viria concorrer com os seus similares no grande emporio da corte.

Possue a freguezia da Natividade do Carangola 109 fazendas de café, entre as quaes merece particular menção a Fazenda de S. Domingos, dos herdeiros do commendador Joaquim Ribeiro dos Santos, a qual pode ser dada por modelo d'entre todas do municipio.

A Natividade produz por si só a terça parte do café exportado de toda a comarca; essa producção subirá ainda a muito maiores proporções á vista da avultada plantação de cafezaes que se está fazendo na freguezia.

Nenhuma localidade do territorio campista se presta mais do que esta e mais do que esta reclama a creação de uma Escola Agricola, na opinião auctorisada dos que mais de perto conhecem as suas necessidades. A introducção de colonos suissos, belgas, allemães, portuguezes, italianos, viria tambem imprimir um salutar impulso ao seu já notavel desenvolvimento agricola, aproveitando a enorme extensão de terreno tão fartamente dotado de elementos aproveitaveis, que jazem inertes.

§ 10.9

A freguezia do Bom Jesus de Itabapuana data de 1862.

A séde parochial, assentada á margem direita do rio de que tira o nome, tem uma pequena igreja, que serve de matriz emquanto não se conclue outra de pedra e cal, que se acha em construcção. Conta a povoação 64 casas, dos quaes 6 de sobrado.

Á área da freguezia comprehende uma superficie de 686,68 k. quadrados, com 454 predios habitados.

A sua população livre consta, em 1880, de 2,842 habitantes, entre os quaes 466 ingenuos. A escrava é de 1,298 individuos:—total 4,140.

Segundo as profissões e misteres em que se emprega distribue-se em

[blocks in formation]

Quanto ao desenvolvimento intellectual:

Dos livres—1,100 sabem ler, e os mais, reunidos á população escrava, são todos analphabetos.

Ha na freguezia uma escola publica e outra particular para o sexo masculino e uma publica para o feminino. Nas primeiras matricularam-se 457 alumnos, dos quaes 46 ingenuos; na de meninas inscreveram-se 428, das quaes 40 ingenuas. A frequencia foi no anno de 1880, a que estes dados se referem, de 169 para aquellas e de 40 apenas para as segundas: 685 de um e outro sexo não frequentaram as aulas.

O solo da freguezia, em grande parte revestido ainda de densas florestas virgens, é o mais adequado possivel para a cultura do café, do fumo, do cacau, etc. A do primeiro d'esses generos na freguezia é considerada uma das mais prosperas do municipio.

Cortado de innumeros regatos, que vão engrossar a arteria fluvial do Itabapuana, são saluberrimos o solo e o

0 clima da freguezia.

Começou a desenvolver-se a nova freguezia como advento de familias mineiras e a abertura de uma estrada, que vai ter ao porto da Limeira, mandada fazer pelo governo da provincia: tem outras faceis vias de communicação e de sahida para os seus productos, como sejam o seu rio principal, limitrophe da provincia do Rio de Janeiro com a do Espirito Santo, e o importantissimo ramal de Santo Eduardo, da estrada de ferro de Carangola, que os transporta directamente a Campos, indo d'ahi a Macahé ou a S. João da Barra.

Pela barra do Itabapuana faz-se um activo commercio de madeiras para o Rio de Janeiro, que orça por metade da totalidade das madeiras que exporta todo o municipio, constituido principalmente por jacarandá, que já vai rareando, peroba, sobro, vinhatico, cedro, tapinhoan e canella. Para o porto da Limeira, povoado de mui recente creação, chegou a exportar-se mais de 800,000 arrobas de productos, sem contar o que poderia ainda exportar e o que se encaminha para a visinha provincia.

Iniciada, como se acha, a criação de gado suino na freguezia, uma fabrica de preparos de productos relativos, podia contribuir para a ampliação d'essa nova industria com seguro proveito para a localidade em que se fundasse, quicá para toda a parochia, e para os que nella embarcassem capitaes e cuidados. O cultivo do fumo, que ali produz maravilhosamente, seria outra fonte de riqueza que não daria menos lucros. O de milho, feijão e arroz, em mais ampla escala, seria sem duvida remunerador.

Sobe a 157 0 numero de fazendas de café na freguezia, que possue 3 fazendas de assucar e 18 estabelecimentos de criação de gado vaccum.

18

P. 11-VOL. XLIX

Do 2° districto d'esta freguezia desmembrou-seo territorio que constitue a parochia de S. Sebastião de Itabapuana, tendo por séde a povoação de Varre-Sahe e por limites a linha que, partindo do ribeirão de Agua Limpa na sua confluencia com o Rio Preto ou Itabapuana, que separa a provincia do Rio de Janeiro da do Espirito-Santo, e seguindo por ella, vá encontrar as divisas da provincia de Minas-Geraes e da freguezia de N. Senhora da Natividade do Carangola : d'esta ficaram pertencendo á nova freguezia as fazendas do Cigarro, de Felicissimo de Faria Salgado, a do MonteVerde, de Antonio Teixeira de Siqueira, e a do PousoAlto, de Francisco Vicente Domingos.

DIVISÃO ECCLESIASTICA DO MUNICIPIO

Pertence o Municipio de Campos dos Goytacazes á diocese do Rio de Janeiro e divide-se, como ficou dito em outro lugar, em dez freguezias com a da cidade. As epocas das erecções de cada uma d'ellas já foram tambem dadas, á medida que tratei de cada uma : ocioso seria repetil-o.

Na freguezia de S. Salvador, a que pertence & cidade, ha, como cabeça de comarca ecclesiastica que é, um vigario da vara, cargo actualmente desempenhado pelo snr. conego Antonio Pereira Nunes, em substituição do padre mestre José Rodrigues Barbosa, hoje fallecido e que o exercêra por longos annos;47 um vigario da freguezia, lugar que desempenha actualmente o sar. conego dr. Luiz Ferreira Nobre Pelinca desde 2 de abril de 1876, tendo succedido ao conego dr. João Carlos Monteiro (vigario collado), hoje fallecido; tem por coadjutor o padre Francisco da Cruz Paula. O mosteiro de

** () conego dr. João Carlos Monteiro, vigario da igreja, servil tambem este cargo antes do sur, conego Nunes e depois do padre mestre Barbosa.

« VorigeDoorgaan »