Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

An. 1513

An. 1514

Inscripção no Arco de Santo Agostinho da
Ponte de Coimbra.
Alemam minuscula floreteada.

No Cruzeiro junto á Igreja de Lessa do Ba-
lio, Bispado do Porto.
Alemam minuscula.

An. 1515 Sepulchral de D. Fr. João Coelho.

An....

Na Igreja de Lessa do Balio, Bispado do Porto.
Alemam minuscula.

An. 1515 Sepulchral de Mattheus Fernandes.
Na Igreja do Convento da Batalha.
Alemam minuscula.

Inscripção na Pia Baptismal da Igreja de Lessa do Balio.

Alemam minuscula.

An. 1520 Inscripção da fundação da Capella de Santa Maria dos Anjos de Valença do Minho. Alemam minuscula.

An..... Inscripção Sepulchral de Sesnando.
No Adro da Sé velha de Coimbra.
Alemam minuscula floreteada.

Senhor D. João III.

An. 1523 Inscripção da Sagração da Igreja do Carmo de Lisboa.

Ao lado do Sul da porta principal da mesma

Igreja.

Alemam minuscula.

An. 1523 Inscripção Sepulchral.

Na parede do Claustro da Basilica de Santa
Maria de Lisboa.

Alemam minuscula, algarismo Arabico.

An. 1551 Inscripção da Reedificação do Mosteiro de

Rendufe.

Roman. restaurada inic. algarismo Arabico.

Resultados.

A letra inicial Romana, mas depravada com o gosto barbaro Nacional, domina nas Inscripções de Portugal desde os tempos dos Reis Godos, e de Leão até o Reinado do Senhor D. Diniz.

Desde este tempo he substituida pela Monachal ou Alemam majuscula, que vulgarmente se chama Gothica: e esta apparece nas Inscripções, ainda no Reinado do Senhor D. João I., e D. Duarte.

No do Senhor D. Affonso V. já se usa a Alemam minuscula. E desde o Reinado do Senhor D. João III. principia a Romana Restaurada, que tem durado até ao presente.

ANALYSE

Romana inic.

Do uso e variação dos caracteres nas Moedas Portuguezas, segundo a Historia Genealogica Tom. 4.

Senhor D. Sancho I. ou II.

Senhor D. Diniz.

Alemam majuscula; e de seus Successores até

Ꭱ .

Senhor D. João I.

Do qual apparecem com letra Alemam majuscula ; e posto que se acha huma com Rom. se deve antes attribuir ao Senhor D. João II. (He a do n. 23. da Est. D da Hist. Geneal.)

tas.

pura.

Senhor D. Duarte.

Alemam majuscula.

Senhor D. Affonso V.

Humas em Alemam, outras Romanas, e outras mix

Senhor D. João II.

Romana inic. com E Alemao; e depois Romana inic.

Senhor D. Manoel, e seus Successores.

Romana pura.

Sobre a variação dos caracteres nos Sellos Reaes, e de particulares de Portugal, Vej. Tom. I. destas Dissertações, 1.a ediç. p. 121, e seguintes.

[merged small][ocr errors]

NOVOS ADDITAMENTOS

E Retoques aos tres primeiros Tomos destas Dissertações

[ocr errors]

Ао Томо І.

A

Hum Prazo do Mosteiro de S. Vicente de Fora data da Era de 1242-Anno decimo nono regni Domni Sancii Regis Portugalie (Cartor. do mesmo Mosteiro, Armario 4. Maço 2. n. 1.)

A pag. 49.

Na Doação do Conde Sesnando da Igreja de S. Martinho ao Abbade Pedro, em data de 7 das Kal. de Maio Era 1118, figura como testemunha Lupus frater Epis

copi D. Paterni (Liv. Preto fol. 15.)

A p. 51. n. 6.

Na outra Doação do mesmo Sesnando áquella Igreja

dos Milreos se faz menção da Almoinha que fora do Bispo D. Paterno: não tem data, e mostra ser anterior á da Era 1125 (Liv. Preto fol. 37.)

pag. 38 (1).

(1) A paginação a que se referem estes Additamentos é a da 1.a edição dos 3 tomos.

A Doação da Igreja de Villa Nova á Sé de Coimbra de 4 dos Id. de Julho Era 1124 se diz feita-existente Adefonso Rege, Paterno Episcopo, Sesnando Consule (Ibid. fol. 42. v. in med.)

A Doação de Sendamiro Presbytero de huns moinhos se diz feita ao Bispo D. Paterno, e se acha por elle subscripta em data de 13 das Kal. de Maio da Era 1124 (Ibid. fol. 88.)

Na Doação de David, Matrona, e Cidi ao Mosteiro de Vouzela em data de 3. das Non. de Novembro Era 1121. se menciona deste modo-Paternus Episcopus confirmo (Liv. Preto fol. 144. in med.)

Em huma Carta de 3. das Non. de Janeiro Era 1126 affirma o Prior da Sé de Coimbra ter vendido huma propriedade do Mosteiro de Lorvão com assentimento do Bispo D. Paterno, e empregára a somma em reedificar o Mosteiro (Liv. Preto fol. 164.)

A 14 das Kal. de Setembro da Era 1141 doou o Bispo de Coimbra D. Mauricio a Comba Deo vota, consanguinea do Bispo D. Paterno, huma propriedade nas Torres, que fora do mesmo Bispo D. Paterno (Liv. Preto fol. 174. in med.) Em data de 17. das Kal. do mesmo mez e Era doou outra porção da mesma propriedade a Duran Seutario com as mesmas especificações.

A pag. 52.

[ocr errors]

Em huma Carta de Venda de casas da Igreja de Coimbra em data de Outubro da Era 1122, e sua ratificação em data de 8 das Kal. de Dezembro da Era 1224 figura o mesmo Bispo D. Paterno (Liv. Preto fol. 11. v.)

A pag. 85. nota (2).

Tambem no Instrumento de huma Provisão do Se

« VorigeDoorgaan »