Pagina-afbeeldingen
PDF
ePub

A pag. 260 col. 1..

Parece sonhada a etymologia de Rabalva, deduzida de Ramalda. A quarta Rabhalva figura em diversos Cartorios...

[ocr errors]

AA

A pag. 260 col. 2.

Rabi Abel he o nome do Author da Obra; qual ella fosse, e o seu assumpto, não he para adivinhar.

Rabuda se chama em alguns Documentos a letra Gothica.

A pag. 264 col. 2.

Ranhoada ser fressura não se prova, e esta palavra só a tenho achado neste Documento.

A pag. 265 col. 1.

Rascam, e rascoa, entenderia antes de criados inferiores, apezar de que Fonseca no uso actual da lingua a faça synonymo de Aja, Rascar he mais natural entenderde arrepelar o cabello, que de clamar.

A pag. 285 col. 2.

Entenderia antes pela palavra Reposteiro criado, ou cobrador do Mosteiro, do que hum Monge.

A pag. 293 col. 2.

Rolho talvez se deva antes entender o tornozelo

A pag. 301 col. 1.

Sal finto. O Documento, de que se lembra o author, he huma Escriptura de III das Kal. de Maio da Era 1064, que se acha no Cartorio da Fazenda da Universidade, na qual Meitilli compensa com humas herdades, a Octicio, o preço porque resgatára os Normandos, e especificando os generos, que tinhão sido preço do resgate, conclue=et tres modios de sal, finto in uno septuaginta modios-o que só quer dizer, que tomado o valor do sal com o dos outros generos, viera a despender 70 modios, sendo o costume do tempo avaliar por modios, ou lenços, ou bragaes qualquer genero: significa por tanto finto in uno, sommado junto, e não he finto propriedade do sal, que aliàs não se costumou nunca chamar senão ao coalhado, no uso, e no commercio.

C

A pag. 301 col. 2.

Não me parece provada a significação, que por hum Documento sómente se dá a salvagina.

A pag. 304 col. 1.

Covados de Santoane parece ser antes de Saintonge (Santonia) na França, como em outros Documentos se menciona St. Omer, ou panos da sua fabrica.

Fi

A pag. 305 col. 2.

I

Sobre o Poema da perda de Hespanha, que o author chama antiquissimo, póde ler-se o Tomo 1. destas Dissertações pag. 181.

S.

A pag. 309 col. 1.

Segunda he mais natural entender-se por centeio.
Col. 2.

Sello das tavoas parece ser o de chancella, que já estava em uso no Reinado do Sñr. D. Diniz.

A pag. 310 col. 1.

Segitorio talvez fosse Sagitario, que não era improprio, pelo lugar que occupava na Procissão ao pé da Serpe.

A pag. 311 col. 1.

Sello do Juiz se póde entender do cunho do sello; pois não he estranho o uso antigo de o apresentar, substituindo o mandado de citação.

A pag. 312 col. 1.

Senhorizar se diz, por exercitar jurisdicção, em huma das Cortes do Sãr. D. Affonso V.

[ocr errors]
[ocr errors][ocr errors][merged small][merged small]

Sesega se dizia o direito, que tinha o dono de huma arvore em terreno alheio, de plantar outra, cortada aquella: no mesmo sentido se dizia sesega de moinho.

10!**

A pag. 321 col. 2.

121

Sesmo se dizia no Alemtéjo as extremidades da her

dade, pelos quaes sómente, e não pelo meio, podião os vizinhos ter canada, isto he, passagem.

A pag. 333 col. 2.

[ocr errors]

Stiva, ou estiva na actual pratica do Despacho das Alfandegas, que por Lei compete a certos generos, he hum orçamento ou estimativa racionavel dos mesmos, prescindindo de pezo, ou medida especifica: se nos antigos Documentos significava exactidão, devemos concluir, que a palavra tomou o sentido inverso.

A pag. 343 col. 1.

Tegeremo tanto póde significar o dia da sepultura a tegendo, como o trigesimo, por corrupção da palavra. A pag. 345 col. 1.

Teiga de escrivam, scrivanios, screvenhinha, etc. são quatro alqueires de alimpaduras de grãos, que os CasteThanos dizem scrivanilla; e os tres alqueires, e dous almudes, de que falla o author, he mero sonho.

A pag. 373 na nota.

O Bispo de Coimbra, a que se chama Anrique, he D. Aymerico.

A pag. 382 col. 2.

Que pano fosse o tiraz, só se poderia decifrar por combinação de outros Documentos.

A pag. 406 col. 2.

Viso he o cume do monte, e portela a aberta enquebrada entre dous montes.

[merged small][ocr errors]

Zebro, ou pedra zebral (talvez pedra, ou pelle zebral) nada tem com gado vaccum. He hum animal bem conhecido, e que entre nós, em outros tempos era vulgar, dando-se com tudo ás suas pelles mais valor que ás dos. outros animaes; a Africa he que hoje abunda na sua criação.

[ocr errors]

Ao SUPPLEMENTO

A pag. 8 col. 1.

Amo se chamava tambem ao marido da ama.
},

A pag. 8 col. 2.

[ocr errors]

Talvez andajem fosse antes huma barca de passagem.

A pag. 16 col. 2.

Beilhoos são bolos de bolina, e não castanhas.

A pag. 17 col. 1.

Boroa escaralada era pão de farinha fina.

« VorigeDoorgaan »